Construção sustentável

WWF-Brasil lança websérie sobre os benefícios socioambientais do uso da madeira na construção

  • Ação marca também o lançamento do novo site do Programa Madeira é Legal, iniciativa voltada para a utilização responsável desta matéria-prima em projetos de arquitetura, engenharia e urbanismo

O WWF-Brasil lança nesta segunda-feira, 5, a websérie “Tudo o que você queria saber sobre madeira”. São cinco vídeos, voltados ao público não especializado, que buscam desmistificar algumas ideias a respeito do uso responsável e sustentável da madeira na construção. Eles mostram, por exemplo, que utilizar madeiras em obras não é mais caro que usar outros materiais e, que, ao contrário do que prega o senso comum, estruturas de madeira não queimam mais fácil que uma estrutura de aço ou concreto, por exemplo.

Os vídeos serão lançados na ordem de um por dia – de segunda a sexta-feira, de 5 a 9 de dezembro – nas redes sociais da instituição: Facebook, Twitter e Youtube. O lançamento acontece também nos canais do Portal Madeira e Construção, parceiro na geração de conteúdo do Programa Madeira é Legal.

Além dos vídeos, o WWF-Brasil lança ainda, na mesma ocasião, o novo site do Programa Madeira é Legal. A página –  disponível no wwf.org.br/madeiraelegal – apresenta, por meio de dados, reportagens, publicações e fotos de projetos criativos e sustentáveis, o trabalho realizado pela iniciativa.

“Esses vídeos têm por objetivo falar com um público não especializado, mostrando que o uso da madeira na construção pode gerar benefícios econômicos, trazer vantagens durante a construção de uma obra e tornar-se uma ferramenta para o equilíbrio ambiental e climático do nosso planeta”, afirmou o analista de conservação do WWF-Brasil, Ricardo Russo.

Florestas

Se utilizada da maneira adequada nos sistemas construtivos, a madeira pode ajudar na gestão e conservação das florestas brasileiras; auxiliar na manutenção da biodiversidade e ser uma ferramenta no combate aos prejuízos causados pelas mudanças climáticas, visto que a madeira estoca carbono que seria lançado na atmosfera.

Segundo a U.S. Energy Information Administration (EIA), órgão estadunidense que trata de políticas energéticas, o setor da construção civil, no mundo inteiro, consome cerca de 40% da energia elétrica gerada em todo o planeta. Outros dados estimam que este mesmo setor gera 60% de todo o lixo sólido do mundo e 47% das emissões de gases de efeito estufa da Terra. Diminuir essa demanda de consumo de energia e de geração de lixo e de emissões contribui com a saúde de nosso planeta e com a manutenção da vida na Terra.

A madeira tem ainda outros benefícios:  ela reduz o tempo de construção das obras; promove a diminuição de resíduos nos canteiros e dá efeito visual diferenciado às estruturas que compõe. Ela também é um material mais leve, de fácil manuseio e reaproveitável.

Conservação

Com oito anos de existência, o Programa Madeira é Legal busca disseminar informações acerca do uso de madeira certificada e sustentável, contribuindo, assim, para a conservação das florestas brasileiras e consequente mitigação de impactos das mudanças climáticas.

Desde sua criação, o programa já capacitou mais de 3 mil pessoas, atores sociais da cadeia produtiva da madeira, no uso responsável e sustentável deste recurso.

Entre as diversas atividades e ações promovidas pelo Programa, estão a realização de oficinas e capacitações para técnicos de construtoras, incorporadoras e escritórios de arquitetura; publicação de manuais, relatórios, livros e aplicativos sobre os usos da madeira; a promoção de workshops internacionais com produtores da Colômbia; a realização de estudos de viabilidade para aperfeiçoar a tributação da madeira no Estado de São Paulo e participação em feiras especializadas.


Responsabilidade

WWF-Brasil lança vídeo sobre a importância do uso sustentável da madeira em obras e construções

 

Lançamento ocorreu durante a Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo (GBC), evento de construção sustentável que ocorre esta semana em São Paulo (SP)

 

O WWF-Brasil lançou, nesta terça-feira (9), o primeiro de uma série de vídeos que busca promover o uso sustentável e responsável da madeira na construção civil. Com pouco mais de dois minutos, o vídeo, que é uma animação voltada ao público não especializado, enumera as razões pelas quais construir com madeira pode ser mais vantajoso para construtoras, incorporadoras e empreiteiras.

O lançamento do vídeo ocorreu no primeiro dia da Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo (GBC), a maior feira sobre construção sustentável da América Latina. O evento ocorre até o final desta semana no São Paulo Expo, na Vila Água Funda, em São Paulo e reúne arquitetos, engenheiros, construtores e diversos atores sociais ligados à construção civil.

Ali, o WWF-Brasil, junto a várias instituições parceiras, expõe ao público as atividades que desenvolve voltadas ao uso sustentável da madeira por meio do Programa Madeira é Legal.

O vídeo é o primeiro de uma série de cinco animações e faz parte de uma série chamada “Tudo o que você queria saber sobre madeira, mas não tinha a quem perguntar”.

O vídeo mostra que, segundo estimativas, o setor da construção civil é responsável por cerca de 47% da emissão de gases de efeitos estufa do mundo – e, por isso, seus atores devem adotar medidas que diminuam este índice. A madeira é um material renovável, sustentável, diminui a quantidade de gases de efeitos estufa no ar e também é resistente, podendo ser reutilizada de diversas maneiras. Elementos como o aço e o concreto, por exemplo, tem processos produtivos que geram grande erosão e imensas quantidades de resíduos.

 

Mudança de cultura

O secretário-geral do WWF-Brasil, Carlos Nomoto, falou que o consumo de madeira na construção tem implicações estéticas, mas também ambientais, já que a madeira mantém o carbono que seria lançado na atmosfera, “aliviando” os prejuízos das mudanças climáticas.

“Precisamos dar opções aos consumidores, mostrar o que existe, mostrar as diferentes espécies de madeira e como elas podem ser utilizadas tanto na construção de larga escala quanto para a confecção de móveis e objetos. Mudança de hábito de consumo e de cultura não é fácil, mas precisamos estimular este mercado”, explicou.

Membro do comitê gestor do Programa Madeira é Legal, Rafik Hussein Filho afirmou que a participação do programa na Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo (GBC) tem o objetivo de formar e sensibilizar os profissionais da construção civil para as possibilidades de uso da madeira.

“Esta feira, por exemplo, é frequentada por muitos arquitetos. Queremos que eles ouçam nossa mensagem e levem-na, que saibam que o produto madeira é renovável, é sustentável. Queremos que o público a conheça um pouco melhor”, afirmou.

Rafik é executivo do Sindicato do Comércio Atacadista de Madeiras do Estado de São Paulo (Sindmasp) – outra das instituições signatárias do Programa Madeira é Legal.

 

Outros eventos

O stand do Programa Madeira é Legal recebeu diversos outros eventos nesta terça-feira. Um deles foi uma palestra do Governador do estado do Acre, Tião Viana (PT).

Ele esteve acompanhado de sua esposa, a arquiteta Marlúcia Cândida, para fazer o lançamento do “Acre Made in Amazônia”, o primeiro e único projeto brasileiro de produção de móveis de madeira maciça com certificação FSC ® (Forest Stewardship Council) e FSC Comunitário; ou seja, que gera benefícios e renda para pequenos produtores ou comunidades que extraem sua renda das florestas acrianas.

“O Acre tem 6 milhões de hectares de florestas públicas, privadas ou comunitárias, que podem ser utilizados para gerar madeira e para abastecer a indústria. Temos um manejo que não cria dificuldades, não temos conflitos com povos indígenas e nem com nenhum povo da floresta. Temos um enorme potencial que precisa ser utilizado”, disse o governador.

 

Próximos dias

Além desses eventos, o stand foi palco ainda das palestras “Madeira, por que não?”, proferida pelo arquiteto Marcelo Aflalo, da Univers Design; e “Usos de conservantes em Estruturas de Madeiras”, feita pelo consultor Humberto Tufolo.

A Greenbuilding Brasil Conferência Internacional e Expo (GBC)  continua ao longo dos próximos dias e o stand do Programa Madeira é Legal terá mais palestras, cujo objetivo é promover e conscientizar as pessoas sobre o bom uso da madeira na construção civil, e os benefícios que isso traz para as florestas brasileiras.

 

Participe das atividades e visite o stand – situado à rua D, número 056

Informações para a imprensa

Jorge Eduardo Dantas
Communications Officer – Amazon Programme
Tel: (92) 3644-3844 (92) 99136-2317 l WWF-Brasil  •  wwf.org.br

 


Programa Madeira é Legal realiza 14 oficinas e palestras na maior feira de construção civil da América Latina

Agenda visa promover o uso responsável da madeira por arquitetos, engenheiros e urbanistas

 

As entidades signatárias e parceiras do Programa Madeira é Legal,  que busca promover o uso responsável da madeira na construção civil brasileira, terão uma agenda cheia durante a Feira Internacional da Construção Civil que FEICON BATIMAT ocorre na próxima semana em São Paulo (SP), no Pavilhão de Exposições do Anhembi: 14 oficinas e palestras serão realizadas durante o evento.

Essas capacitações, disponíveis para o público da feira, têm como objetivo discutir o uso responsável da madeira na construção civil e mostrar experiências bem sucedidas de organizações e empresas brasileiras que usam esta matéria-prima. Todas as atividades vão ocorrer no próprio stand do Programa localizado na Rua  D100 no pavilhão.

 

Veja aqui a programação completa de atividades
oferecidas pelo Programa Madeira é Legal

 

Entre as empresas que vão apresentar suas experiências estão a Univers Design, a ITA Construtora, a Precious Woods, a TETTI e a Montana Química. Além disso, as entidades signatárias do Programa Madeira é Legal, como o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o WWF-Brasil e o FSC Brasil também vão divulgar estudos de casos, pesquisas e trabalhos relativos ao tema.

Alguns dos temas que serão tratados durante a FEICON BATIMAT  são: “Diferença entre Manejo Florestal e Desmatamento”, na quinta-feira (14), a partir das 16h30; “Indicação e uso de Madeiras menos Conhecidas na Construção Civil”, na terça-feira (12) às 14h e na quinta (14) às 15h; “Impactos Sociais e Ambientais da Certificação FSC”, na sexta-feira (15) às 16h30; e “Processos Construtivos em Madeira: uma resposta do setor às Mudanças Climáticas”, que acontece no sábado (16) às 13h30.

“Queremos mostrar ao público da feira tudo o que é possível fazer com a madeira e como sua utilização ajuda na conservação de recursos naturais, como a biodiversidade amazônica. Seu uso promove também o sequestro de carbono e é um meio eficaz de diminuirmos os efeitos das mudanças climáticas”, disse Ricardo Russo, analista de conservação do WWF-Brasil, um dos signatários.

A participação nas oficinas e palestras é gratuita e aberta ao público, para tanto é só estar presente no stand, momentos antes de cada atividade.

 

O stand
Construído obedecendo a padrões de sustentabilidade, o stand do Programa é modular e desmontável. Sua concepção e estruturação foi produzida por um conjunto de empresas comprometidas com o uso responsável da madeira, como o escritório de arquitetura Univers Design, a ITA Construtora, a empresa de exploração madeireira Precious Wood, além da fabricante de pisos IndusParquet, da Montana Química e da Tetty Telhados.

Além dos Parceiros citados, para viabilizar esta ação na FEICON o Programa contou com o apoio das seguintes entidades signatárias: CIPEM, FNBFI, IPT, SECOVI,SINDISMASP, SindusConSP e WWF-Brasil.

 

Ilha do Conhecimento

Além das atividades no stand, estão previstas outras nas “Ilhas do Conhecimento”, espaços, dentro da FEICON/BATIMAT, dedicados à educação e formação dos atores sociais da construção civil. A Reed convidou o Programa para participar do ciclo de palestras e na 6ª feira, 15 de abril, às 11h00, será apresentada a palestra Uso de Madeira na Construção Civil – soluções, oportunidade, mitos e verdades na visão dos especialistas, será ministrada pelos representantes do Comitê Gestor do Programa Madeira é Legal, Lilian Sarrouf, Coordenadora do COMASP – Comitê de Meio Ambiente do Estado de São Paulo do SindusCon-SP, Ricardo Russo, analista de conservação do WWF-Brasil e Rafik Saab Filho e o Consultor do SINDIMASP- Sindicato . Atacadista de Madeira do Estado de São Paulo.

 

Parceria Reed e Programa Madeira é Legal

Por acreditar na importância e no prestigio do Programa Madeira é Legal, a Reed Exhibitions Alcantara Machado, responsável pela promoção e organização da FEICON BATIMAT, novamente cedeu a área para montagem do stand que este ano contará com uma metragem de 104m². Esta parceria foi fundamental para viabilizar a participação nesta que será a principal ação do Programa em 2016.

“Numa época em que diversos setores produtivos, como a construção civil, dependem de produtos ou subprodutos da madeira, e fala-se bastante na preservação dos recursos naturais para manutenção da biodiversidade e da qualidade de vida, além do equilíbrio ecológico, é relevante discutir um tema tão importante como a madeira legalizada. A participação do Programa Madeira é Legal na FEICON BATIMAT é fundamental para que profissionais da área da construção – assim como construtoras e incorporadas – saibam como aproveitar melhor esse recurso natural e usá-lo de forma consciente. Assim como aconteceu ano passado, temos certeza que será de grande valia essa participação e estamos satisfeitos com essa nova parceria. O estande terá uma programação especial totalmente voltada para os profissionais presentes no evento”.

 

Alexandre Brown, diretor da FEICON BATIMAT

 

Serviço

12 a 16 de abril de 2016

Horários
12 a 15/04 das 11h às 20h
16/04 das 09h às 17h

Estande – RuaD100
Anhembi-SP – Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo/SP

Efetue o credenciamento on-line em www.feicon.com.br e evite filas!


Informações para a imprensa

Jorge Eduardo Dantas
Communications Officer – Amazon Programme
Tel: (92) 3644-3844 (92) 99136-2317 l WWF-Brasil  •  wwf.org.br


Entidades levam discussão sobre madeira legal e certificada à maior feira da construção civil da América Latina

A questão da madeira legal e certificada estará presente na 22ª Feira Internacional da Construção Civil (FEICON/BATIMAT), que ocorre entre os dias 12 e 16 de abril em São Paulo (SP).

As entidades signatárias do Programa Madeira é Legal, que promovem a madeira legal e certificada na construção civil brasileira, estarão na feira com um stand de 100 metros quadrados, feito totalmente deste material – repetindo uma experiência bem sucedida ocorrida em 2015, na edição anterior da FEICON/BATIMAT, que mostrou as vantagens, benefícios e potencialidades do uso da madeira em projetos de arquitetura, de engenharia e de construção.

A programação do stand será composta de minipalestras que vão discutir aspectos ligados à cadeia produtiva da madeira, como exploração, beneficiamento, comercialização e sensibilização de clientes e consumidores. Também estão previstas intervenções com o mesmo teor nas “Ilhas do Conhecimento”, que serão espaços, dentro da FEICON/BATIMAT, dedicados à educação e formação dos atores sociais da construção civil.

 

Espaço desmontável

O stand é uma atração à parte – formado por diferentes materiais e tecnologias, ele foi construído obedecendo a altos padrões de sustentabilidade, é modular e desmontável.  Por isso, ele poderá ser utilizado mais de uma vez.

A rigor, esta é a segunda vez que ele será utilizado – o stand já esteve presente no Encontro Brasileiro de Madeiras e Estruturas de Madeira (EBRAMEM), evento realizado em março em Curitiba (PR).

Sua concepção e estruturação foi feita por um conjunto de empresas comprometidas com o uso responsável da madeira, como o escritório de arquitetura Univers Design, a ITA Construtora, a empresa de exploração madeireira Precious Wood e a fabricante de pisos IndusParquet.

 

Boa impressão

O WWF-Brasil é uma das entidades signatárias do Programa Madeira é Legal. Para o analista de conservação da instituição, Ricardo Russo, o retorno a FEICON/BATIMAT, após a participação do Programa na edição 2015 da Feira, é fruto do bom trabalho desenvolvido ano passado.

“Estou certo de que causamos uma boa impressão em 2015, quando estivemos por aqui pela primeira vez. Tanto que desta vez fomos convidados pela organização do evento para retornar e vamos apresentar um stand ainda maior, onde poderemos falar mais e melhor sobre os benefícios da madeira de boa origem”, explicou.

Representante do Sindicato do Comércio Atacadista de Madeiras do Estado de São Paulo (Sindimasp), Rafik Saab Filho afirmou que a FEICON/BATIMAT é uma grande oportunidade de divulgar os benefícios da madeira.

“A Feicon é uma ótima oportunidade para os profissionais e estudantes conhecerem mais sobre o ‘produto madeira’, suas qualidades e propriedades, que lhe garante  excelência em matéria de sustentabilidade na construção e seu papel único em garantir uma floresta amazônica preservada e justa para seus moradores”, afirmou.

Rafik contou ainda que a FEICON/BATIMAT serve como um grande ambiente de debates sobre a construção civil. “A madeira é usada no mundo todo e deve ser melhor aproveitada aqui no Brasil. Encontros como esse são fundamentais para dirimir eventuais dúvidas e promover debates em torno do tema”, disse.

 

Madeira é Legal

O Programa Madeira é Legal foi criado em março de 2009. Ele é um protocolo de cooperação assinado por 23 instituições, e tem como objetivo incentivar e promover o uso da madeira de origem legal e certificada no território brasileiro.

Entre as diversas ações implementadas pelo programa estão a publicação de livros e manuais; a realização de capacitações para associações de classe, como construtoras e incorporadoras; a promoção de um workshop internacional com produtores da Colômbia; a realização de um estudo de viabilidade para aperfeiçoar a tributação da madeira no Estado de São Paulo; e participação em feiras especializadas.

Desde seu início, mais de 3 mil profissionais, ligados diretamente à cadeia produtiva da madeira, foram capacitados no uso responsável deste recurso na construção civil. Mais de 230 mil pessoas já tiveram contato com as ações do Programa por meio das participações em feiras, publicações, eventos, sites dos signatários, mailing-list e mídias sociais.

São  signatários do Programa Madeira é Legal: os governos Estadual e Municipal de São Paulo, Sindicato da Indústria da Construção Civil de Grandes Estruturas do Estado de São Paulo (SindusCon–SP), a Associação Paulista de Empresários de Obras Públicas (APEOP), a Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), o WWF-Brasil, o Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas (GVCes), o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS), a Associação de Produtores Florestais Certificados na Amazônia (PFCA), o Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (SECOVI-SP), a Associação de Pequenas e Médias Empresas de Construção Civil do Estado de São Paulo (APeMEC), o Conselho Brasileiro de Manejo Florestal (FSC Brasil), o Sindicato do Comércio Atacadista de Madeiras do Estado de São Paulo (SINDIMASP), a Associação Nacional dos Produtores de Pisos de Madeira (ANPM), o Sindicato da Indústria do Mobiliário de São Paulo (SINDIMOV), a Associação das Empresas de Loteamento e Desenvolvimento Urbano (AELO), a Sociedade Brasileira de Silvicultura (SBS), o Instituto de Engenharia, o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO), o ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT),  o Instituto São Paulo Sustentável (Movimento Nossa São Paulo), além da ABIMCI, ABIPA, CIPEM e o Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal.

 

 A Feira

Promovida pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, a FEICON/BATIMAT reúne as maiores marcas nacionais e internacionais do ramo da construção civil. Participam do evento representantes e organizações dos setores de aquecimento e refrigeração de ambientes, automação e segurança, elétrica e iluminação, fechaduras, ferragens e cadeados, produtos para cozinhas e banheiros, teto, cobertura, tintas e vernizes, entre outros.

Diretor da FEICON/BATIMAT, Alexandre Brown disse que discutir o uso da madeira responsável na construção civil é uma das grandes necessidades de nossa época.

“Num período em que diversos setores produtivos dependem de produtos ou subprodutos da madeira, e fala-se bastante na preservação dos recursos naturais para manutenção da biodiversidade e da qualidade de vida, além do equilíbrio ecológico, é relevante discutir um tema tão importante como a madeira legalizada”, explicou.

Alexandre também acha que os profissionais da área da construção, assim como construtoras e incorporadoras, precisam saber como aproveitar melhor e usar de forma consciente a madeira.

“O stand do Madeira é Legal terá uma programação especial, voltada totalmente para os profissionais presentes na Feicon. Assim como aconteceu ano passado, temos certeza que será de grande valia essa participação e estamos satisfeitos com essa parceria”, afirmou.

 

Serviço
12 a 16 de abril de 2016
Horários
12 a 15/04 das 11h às 20h
16/04 das 09h às 17h
Estande – RuaD100
Anhembi-SP
Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo/SP

 

 Informações para a imprensa
Jorge Eduardo Dantas
Communications Officer – Amazon Programme
Tel: (92) 3644-3844 (92) 99136-2317  |  WWF-Brasil  •  wwf.org.br

 


 

Projetos de vila residencial e bicicletário são os grandes vencedores do Prêmio Ebramem/WWF de Arquitetura em Madeira

Um empreendimento imobiliário formado por casas feitas de madeira, e a ideia de um bicicletário feito inteiramente do mesmo material, foram os grandes vencedores do Prêmio Ebramem/WWF de Arquitetura em Madeira – concurso realizado nos últimos meses e que premiou projetos arquitetônicos, de engenharia e urbanísticos que utilizassem madeira de forma extensa, nobre e sustentável.

A divulgação dos vencedores e a cerimônia de premiação ocorreram na última sexta-feira, dia 11, em Curitiba (PR).

A proposta vencedora da categoria profissional foi a Vila Tanguaí, de Carapicuíba, em São Paulo. Idealizada pela arquiteta Cristina Xavier com apoio da construtora ITA – uma das maiores e mais importantes a trabalhar com madeira no Brasil – ela consiste em uma vila formada por oito casas feitas completamente de madeira.  “Esta é uma ideia nova e diferente no mercado imobiliário paulistano”, disse Cristina.

Alto padrão

Membro da banca julgadora, a arquiteta Andrea Berriel enumerou os méritos do projeto. “Ele teve início com uma demanda da própria ITA, de aproveitar resíduos de madeira vindos de áreas de manejo. Ele possui um nível elevado de qualidade técnica, tem alta qualidade plástica e é muito racional no que diz respeito ao uso de recursos naturais”, afirmou.

As residências da Vila foram construídas sob determinados padrões de sustentabilidade: elas possuem painéis solares, estações de tratamento de esgoto, sistema natural de drenagem e foram construídas de modo a ser “harmonizarem” com o ambiente ao redor, uma área de florestas na periferia da região metropolitana de São Paulo.

Cristina, a arquiteta responsável pelo projeto – que mora numa das casas da Vila Tanguaí – contou que ficou muito feliz com a premiação. Ela lembra de ter lido o edital do Prêmio Ebramem/WWF de Arquitetura em Madeira e ter pensado que o projeto da Vila se encaixava perfeitamente no regulamento do prêmio.

Opção radical

“Quando desenhamos o projeto, fizemos uma opção radical pela sustentabilidade, pelo uso de tecnologias renováveis e pela criação de algo novo e diferente, que refletisse esses valores. Achamos que ele se encaixava bem com o que o prêmio pedia”, afirmou.

Como prêmio pelo primeiro lugar na categoria profissional, Cristina e sua equipe ganharam uma viagem para Viena, na Áustria, no mês de agosto, para participar do World Conference on Timber Engineering (WCTE) – ou “Conferência Mundial de Engenharia de Madeira”, em tradução livre. O WCTE é o mais importante encontro europeu sobre uso da madeira na arquitetura e engenharia.

Terminais

A ideia vencedora na categoria estudante foi o projeto de um bicicletário feito totalmente de madeira. Responsável pelo projeto, a estudante Karina Kimura contou que ela e seus colegas – a equipe responsável possuía outros 4 alunos – pensaram que é preciso qualificar a discussão que existe hoje no Brasil sobre terminais de meios de transporte.

“Mesmo em Curitiba, que é considerada uma referência nesse assunto, existem problemas de superlotação de ônibus, por exemplo”. A forma que eles encontraram de endereçar este problema foi propor a construção de um novo modelo de bicicletário.

“Nosso projeto trata de uma construção sustentável. Por isso, dispensamos o uso de pregos e químicas, para valorizar a madeira, possibilitar a construção dessa estrutura em oficinas locais e disseminar essa ideia de construções mais agradáveis ao meio ambiente”, disse.

Protagonista

O prêmio para a categoria estudante é uma viagem a Santiago do Chile, onde Karina e um acompanhante vão realizar uma série de visitas a faculdades e escritórios de arquitetura daquele país – que é mundialmente conhecido como exímio utilizador de madeira em seus projetos.

O coordenador da premiação, o arquiteto Marcelo Aflalo, lembrou que foram inscritos 45 projetos na categoria profissional e 7 projetos na categoria estudante. Ele afirmou que, de modo geral, todos os projetos tiveram alto nível. “Focamos em projetos em que a madeira fosse a protagonista, tanto no desenho, quanto na linguagem e nos critérios de sustentabilidade”, explicou o profissional.

Jurados impressionados

O analista de conservação do WWF-Brasil, Ricardo Russo, contou que prestigiar a madeira de boa origem, legal e certificada, é trabalhar pelas questões ambientais.

“Estamos vivenciando uma situação de mudanças climáticas em que as soluções sustentáveis estarão cada vez mais presentes no nosso dia a dia. A madeira é o material sustentável por definição e ela pode, por exemplo, gerar emprego e renda na Amazônia. Espero que possamos continuar, enquanto WWF-Brasil e signatário do Programa Madeira é Legal, apoiando este prêmio e que nos próximos anos estejamos aqui prestigiando outros projetos”, afirmou

 

Informações para a imprensa

Jorge Eduardo Dantas
Communications Officer – Amazon Programme
Tel: (92) 3644-3844 (92) 99136-2317 l WWF-Brasil  •  wwf.org.br

 


 

 

Arquitetura sustentável:

Programa Madeira é Legal participa de evento sobre as ciências da madeira em Curitiba (PR)

 

Curitiba (PR) – Termina hoje (11), na capital paranaense, o mais importante fórum nacional de discussões, atualizações e divulgação de informações voltadas para as ciências da madeira.

Este fórum, chamado Encontro Brasileiro de Madeira e Estruturas em Madeira – EBRAMEM, teve início na quarta-feira (9) e ocorre na capital paranaense. Ele possui uma programação repleta de conferências, palestras, sessões temáticas, minicursos e oficinas.

As entidades signatárias do Programa Madeira é Legal entendem que a exploração e uso responsável da madeira é um dos modos de combater o desmatamento da Amazônia e conservar a biodiversidade da região – por isso, está patrocinando e participando do evento.

 

Concurso

Além disso, um dos signatários do Programa, o WWF-Brasil, está viabilizando o Prêmio Ebramem/WWF de Arquitetura em Madeira. Estudantes e profissionais de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo inscreveram projetos que contemplavam o uso nobre, extenso e sustentável deste recurso.

Os vencedores do prêmio vão ganhar viagens para Viena (Áustria) e Santiago (Chile), para conhecer iniciativas estrangeiras de uso criativo da madeira na construção. Os contemplados serão conhecidos hoje, sexta-feira, numa cerimônia especial.

 

Mudança cultural

Para um dos organizadores do EBRAMEM  – o arquiteto Marcelo Aflalo, da Univers Design – hoje a madeira brasileira é muito usada na indústria de papel e celulose, mas pouquíssimo na arquitetura.

“Esta edição do EBRAMEM tem como objetivo promover uma mudança cultural, mudar o mindset da indústria e do mercado brasileiro. Escritórios de outros países fazem projetos arquitetônicos incríveis com madeira e nós, que temos uma imensa quantidade dessa matéria prima, não temos esta prática”, explicou.

Para o analista de conservação do WWF-Brasil, Ricardo Russo, levar o Programa Madeira é Legal ao EBRAMEM serve ao propósito de fazer articulações e reunir atores sociais interessados num tema comum – promover a madeira legal e responsável na construção civil e na arquitetura.

“Este é um problema complexo, que não será resolvido somente por uma ou outra instituição. Então precisamos ter essas conversas, fazer articulações, buscar objetivos comuns e trabalhar em cima deles”, afirmou o analista.

 

Informações para a imprensa

Jorge Eduardo Dantas
Communications Officer – Amazon Programme
Tel: (92) 3644-3844 (92) 99136-2317 l WWF-Brasil  •  wwf.org.br

 


 

Arquitetura sustentável: Iniciativa premia projetos de uso responsável de madeira

  • Estudantes e profissionais de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo participam de concurso; 
  • Prêmios são viagens para Viena (Áustria) e Santiago (Chile); 
  • Vencedores serão conhecidos em cerimônia a ser realizada no dia 11 de março.

O Programa Madeira é Legal, em conjunto com a comissão organizadora da 15ª edição do Encontro Brasileiro de Madeira e Estruturas em Madeira (EBRAMEM), vai premiar os melhores projetos de arquitetura que utilizem madeira de forma sustentável, extensa e nobre.

O Prêmio EBRAMEM/WWF de Arquitetura em Madeira tem como objetivo estimular a utilização da madeira na arquitetura por profissionais e estudantes da América do Sul. As inscrições já foram encerradas e estavam abertas para estudantes e profissionais de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo.

A premiação será concedida em duas categorias: profissional e estudante. O vencedor da categoria profissional receberá como grande prêmio uma viagem para Viena, na Áustria, no mês de agosto, para participar do World Conference on Timber Engineering (WCTE) – ou “Conferência Mundial de Engenharia de Madeira”, em tradução livre. O WCTE é o mais importante encontro europeu sobre uso da madeira na arquitetura e engenharia.

O vencedor da categoria estudante, por sua vez, receberá uma viagem para Santiago, no Chile, para uma agenda de visitas a escritórios de arquitetura e indústrias chilenas – que são mundialmente conhecidos como exímios utilizadores de madeira em seus projetos.

Os trabalhos pré-selecionados serão conhecidos no dia 9 de março e os nomes dos vencedores serão divulgados no dia 11, numa solenidade específica a ser realizada durante o EBRAMEM.

Mais informações sobre o concurso podem ser solicitadas no e-mails pletz2000@yahoo.com ou marcelo@univers.com.br.
Para o analista de conservação do WWF-Brasil, Ricardo Russo, a premiação busca impulsionar o uso da madeira responsável na construção civil. “É por isso que estamos oferecendo aos vencedores viagens técnicas para o exterior. Queremos que eles vejam o que está acontecendo lá fora e que tragam esses conhecimentos para o nosso País”, afirmou.

 

 O que é o EBRAMEM?

O Encontro Brasileiro de Madeiras e Estruturas de Madeira (EBRAMEM) é considerado o mais importante fórum nacional de discussões, atualizações e divulgação de informações voltadas para as ciências da madeira.

Sua 15ª edição será realizada em Curitiba (PR), na Alameda Ecológica Burle Marx, nos dias 9, 10 e 11 de março de 2016. O objetivo geral do evento é promover interação entre pesquisadores, professores, alunos, empresários e profissionais do setor construtivo.

O Programa Madeira é Legal, por entender que utilizar madeira de forma responsável é uma maneira de conservar a Amazônia e promover a biodiversidade deste bioma, é um dos patrocinadores desta edição do EBRAMEM.

 

Conheça o Madeira é Legal

O patrocínio ao EBRAMEM, por sua vez, é uma iniciativa do Programa Madeira é Legal.

Concebido como um protocolo de intenções assinado em 2009 por 23 instituições – incluindo o WWF-Brasil – o Madeira é Legal tem como objetivo promover o uso sustentável e responsável da madeira amazônica na construção civil brasileira.

Ao longo de 2015, como parte desta iniciativa, foram promovidas capacitações, participações em feiras, lançamento de produtos e realização de uma série de conversas, debates e articulações por todo o país.

 

Informações para a imprensa:

Jorge Eduardo Dantas
Communications Officer – Amazon Programme
Tel: (92) 3644-3844 (92) 99136-2317 l WWF-Brasil  •  wwf.org.br

 


Organizações trocam experiências sobre exploração e comercialização de madeira responsável no Brasil

São Paulo (SP) – O WWF-Brasil, a Rede Amigos da Amazônia (RAA) e a Fundação Getúlio Vargas, com apoio da União Europeia, realizaram na última quinta-feira, dia 3, um seminário temático, que discutiu diversas questões relacionadas à exploração, produção e comercialização de madeira sustentável no Brasil.

No evento, foram realizadas mesas-redondas sobre compras públicas sustentáveis, a legalidade desta cadeia produtiva e a sua governança. Atores sociais de vários estados da Amazônia – como Acre, Amazonas, Mato Grosso e Pará – estiveram presentes na ocasião.

O evento contou ainda com o lançamento da publicação Programa Madeira Legal – Lições da madeira legal e certificada junto ao setor da construção civil, que resgata e registra os seis anos de história desta iniciativa.

Vários signatários prestigiaram o evento entre eles: ANPM, AsBEA, CIPEM, CBCS, FSC, IPT, RAA FGV EAESP, SECOVI, SINDIMASP, SINDIMÓV, SINDUSCON SP, Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Secretaria do Verde e Meio Ambiente de São Paulo e WWF Brasil,

Celebração

O seminário marcou a celebração dos 10 anos de uma parceria internacional que contribuiu com a conservação da Amazônia promovendo a legalidade e sustentabilidade da cadeia produtiva da madeira.

O Projeto Governança Florestal e Comércio Sustentável da Madeira Amazônica, desenvolvido ao longo da última década, teve como objetivo apoiar o desenvolvimento da economia florestal no Brasil e impulsionar a agenda da “madeira responsável”.

Madeira responsável é legal e certificada – aquela explorada e produzida com critérios socioambientais justos, promovendo ao mesmo tempo a conservação da biodiversidade e a geração de renda das populações amazônicas.

Destaques

Dois dos maiores sucessos do Projeto Governança Florestal e Comércio Sustentável da Madeira Amazônica, foram a criação do Programa Madeira é Legal em 2009 – que uniu poder público, empresas e entidades da sociedade civil na qualificação deste mercado – e a adoção de uma lei, por parte da Comunidade Europeia, que proibiu a chegada de madeira de áreas desmatadas naquele continente.

Esta lei foi posta em vigor em outubro de 2010 e, na prática, obrigava todos os importadores dos 28 países da Europa a ter dados de registros e rastreabilidade de suas madeiras, que pudessem dizer de onde veio sua matéria-prima.

No Brasil, esta medida forçou várias indústrias e entidades do setor florestal – famoso justamente por seu alto índice de ilegalidade – a buscar adequações à legislação brasileira.

Celebração

Ainda no âmbito deste projeto, foram publicados vários estudos sobre a produção responsável no Brasil e foram realizadas diversas capacitações para produtores e compradores de madeira, inclusive fora do País.

Esta iniciativa também possibilitou a produção de produtos diferenciados, como pen drives, onde foram inseridas as publicações, sobre madeira, aplicativos e QR Code, que traziam informações técnicas e cientificas e oportunizou que o tema fosse levado para as principais feiras especializadas do setor da construção civil e também para workshop destinado a arquitetos, além de pesquisa, também realizada com este público, que é especificador.

Satisfeitos

O chefe da delegação da União Europeia no Brasil, o embaixador João Cravinho, afirmou que a União Europeia está muito “satisfeita a agradecida” por ter feito parte do projeto Governança Florestal e Comércio Sustentável da Madeira Amazônica.

“Incentivamos o uso e a compra de madeira certificada no setor público, capacitamos os compradores de madeira e geramos conscientização e mobilização sobre este tema. Estamos muito satisfeitos e agradecidos por tudo o que foi possível fazer”, disse o embaixador.

Dialogar e construir

O analista de conservação do WWF-Brasil, Ricardo Russo, afirmou que gerar a troca de conhecimentos e informações sobre a cadeia produtiva da madeira no Brasil foi um dos grandes objetivos do projeto.

“O que buscamos sempre foi isso: que os produtores do Mato Grosso conversassem com os compradores de São Paulo; que o pessoal do Pará pudesse trazer dados para fazer estudos aqui no Sudeste. E ver que isso aconteceu, e continua acontecendo, é um grande prazer e felicidade”, explicou o especialista.

O coordenador de Meio Ambiente do Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas (CEAPG/FGV), Marcus Vinícius Gomes, contou que o setor florestal brasileiro é complexo e difícil de lidar.

“Justamente por isso existe um espaço enorme para se inovar, aprender e criar coisas novas. Esse foi um dos grandes méritos do projeto – dialogar, construir e criar um espaço de troca e consolidação de experiências. Acho que conseguimos fazer isso”, declarou.

Informações para a imprensa:
Jorge Eduardo Dantas
Communications Officer – Amazon Programme
Tel: (92) 3644-3844 (92) 99136-2317 l WWF-Brasil • wwf.org.br


 

 

Seminário em São Paulo (SP) discute produção e comercialização de madeira legal e certificada no Brasil

Como fazer para que a madeira amazônica, produzida de forma responsável, seja vista como uma ferramenta para a conservação de ecossistemas e da biodiversidade? Quais são as dificuldades que um empresário(a) enfrenta para comprar madeira legal e certificada? Qual o papel do Governo na promoção do uso da madeira responsável? Por que arquiteto(a)s
usam tão pouco a madeira em seus projetos de construção?

Para responder estas perguntas, no dia 03 de dezembro será realizado no auditório do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), na capital paulista, o Seminário “Avanços e Desafios da Madeira Tropical Amazônica. Este evento é o resultado de quatro anos do Projeto Governança Florestal e Comércio Sustentável da Madeira Amazônica, que contou com financiamento da União Europeia e cooperação do WWF-Brasil, a FGV e da Rede Amigos da Amazônica, cujo objetivo principal é contribuir para a conservação da Floresta Amazônica por meio da promoção de uma gestão sustentável da floresta e o comércio de produtos de madeira por meio de procedimentos que regulam a produção de madeira, aquisição e controle.

A União Europeia financiou € 1.719.040 milhões, de um total de € 2.148.000 milhões deste Projeto, que visa também o aumento do volume total de madeira proveniente da Bacia Amazônica a partir de fontes legais e sustentáveis, por meio da implementação de políticas sub-nacionais adequados de compra responsável.

A inscrição para o Seminário é gratuita pelo site www.madeiraelegal.com.br. As vagas são limitadas.

Durante o seminário, serão realizadas três mesas-redondas que discutirão os temas:

Governança da madeira tropical – Diante da necessidade de diálogo entre os diferentes setores envolvidos na cadeia produtiva da madeira tropical, a mesa discutirá, dentre outras iniciativas, a Mesa Redonda da Madeira Tropical, destacando seus avanços e desafios. A mesa 1, portanto, versará sobre os caminhos possíveis para o alcance de uma governança da madeira tropical, destacando a importância da participação, em múltiplos níveis, do governo, setor empresarial e sociedade civil, ao longo dessa cadeia produtiva.

Compras públicas sustentáveis – O setor público é um ator importante para a gestão da cadeia produtiva da madeira tropical, não só por sua atribuição regulatória e fiscalizadora, como também pelo seu poder de compra, que constitui uma ferramenta importante de incentivo à uma cadeia produtiva sócio e ambientalmente responsável. Nesse sentido, a mesa 2 objetiva apresentar e discutir as iniciativas, em vigor, de compras públicas sustentáveis de madeira e apontar ações a serem fomentadas.

O Nó da Legalidade – A complexidade da cadeia produtiva de madeira amazônica não é tarefa simples, objetivando examinar os próximos passos para a consolidação de uma econômica florestal sustentável, por meio de uma análise do contexto atual de condicional a legalidade da extração de madeira tropical.

Ao final do Seminário será lançada a publicação Programa Madeira é Legal – Lições da promoção da madeira legal e certificada junto ao setor da construção civil. Uma trajetória que teve inicio em 2009.

O Seminário será aberto pelo Chefe da Delegação da União Europeia no Brasil, embaixador João Cravinho e o encerramento ficará a cargo do Chefe do Setor de Cooperação da Delegação da União Europeia, Ministro Conselheiro Thierry Dudemel.

Foram convidado(a)s para participar especialistas de várias partes do país, que contarão suas experiências, sucessos e dificuldades no trabalho com a madeira extraída e comercializada de forma responsável. Confirmaram presença pesquisadore(a)s, representantes de órgãos públicos, de entidades de classe, especialistas, arquiteto(a)s e cientistas.

Entre as instituições inseridas na programação, estão o WWF-Brasil, Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP/CEAPG), a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Serviço Florestal Brasileiro (SFB), a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo (SMA), o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusConSP) e Sindicato do Comércio Atacadista de Madeiras do Estado de São Paulo (Sindimasp). Organizações do norte do País também vão tomar parte na discussão, como a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e a Associação da Cadeia Produtiva Florestal da Amazônia (Unifloresta).

Potencialidades
Para o analista de conservação do WWF-Brasil, Ricardo Russo, o seminário tem como objetivo gerar reflexões sobre a madeira legal e certificada no Brasil e sobre as potencialidades de uso deste material.

“Utilizando a madeira responsável, nós ajudamos os ribeirinhos a gerar renda, contribuímos para manter ecossistemas vivos na maior floresta tropical do mundo e ajudamos na conservação de biodiversidade. É um material que pode e deve ser adotado pela indústria, pelo mercado, pelas entidades publicas e pessoas físicas que lidam com serviços”, explicou.

Responsáveis
Quem está à frente desta mobilização são os integrantes do projeto Governança Florestal e Comércio Sustentável da Madeira Amazônica – o WWF-Brasil e a Rede Amigos da Amazônia (RAA) do Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP/CEAPG), apoiados pela Comunidade Europeia –, iniciativa que busca promover a cadeia produtiva da madeira legal e certificada em território brasileiro.
E as 27 instituições signatárias do Programa Madeira é Legal.

“Durante o evento, teremos mais uma oportunidade de debater como os diferentes setores envolvidos na cadeia produtiva da madeira tropical amazônica podem contribuir para a criação de uma economia florestal sustentável. Nosso objetivo é não apenas apresentar os trabalhos desenvolvidos pela RAA e WWF-Brasil nos últimos 6 anos, mas também conversarmos sobre os próximos passos para avançarmos na agenda da legalidade e sustentabilidade da madeira tropical.” – Professor Marcus Vinícius Gomes da FGV-EAESP

“Em 2013, entrou em vigor a primeira lei de combate ao comércio ilegal de madeira na Europa (Regulamento da União Europeia sobre a madeira (EUTR)). Neste contexto, este projeto teve grande importância na promoção, divulgação e discussão da questão da legalidade e sustentabilidade da exploração madeireira no Brasil com os diversos atores dos vários estados de atuação do projeto” – Embaixador João Cravinho, Chefe da Delegação da União Europeia.

Madeira é Legal
O Programa Madeira é Legal é um protocolo de cooperação, assinado por 27 organizações, que tem como objetivo incentivar e promover o uso da madeira de origem legal e certificada no Brasil.

Para isso, diversas ações vêm sendo realizadas: a publicação de livros e manuais; a realização de capacitações para associações de classe, como construtoras, incorporadoras, escritórios de arquiteturas e empresas de comercialização da madeira ; a promoção de workshops internacionais na Colômbia e Equador; a realização de estudos de viabilidade para aperfeiçoar a tributação da madeira no Estado de São Paulo; além da participação em feiras especializadas.

SERVIÇO
Data: 03 de dezembro de 2015
Local: Auditório do SindusCon-SP
Rua Dona Viridiana, 55 – São Paulo
Horário: 13h30 às 20h00

Evento gratuito. Inscrições pelo site www.madeiraelegal.com.br

Informações para a imprensa
Jorge Eduardo Dantas
Communications Officer – Amazon Programme
Tel: (92) 3644-3844 l WWF-Brasil • wwf.org.br


 


Exposição traz a Brasília (DF) projetos de arquitetura inovadores e contemporâneos feitos com madeira
  • Mostra trará maquetes de obras da Áustria, China, Suíça e Japão, entre outros países;
  • Iniciativa busca afirmar a madeira como instrumento técnico e de linguagem para a arquitetura
  • Público poderá conhecer escritórios, centros comunitários, prédios, vinícolas, pontes, passarelas feitas com matéria-prima sustentável

Acadêmicos e profissionais de Brasília (DF) interessados em construções sustentáveis e no uso da madeira na construção têm uma oportunidade única de conhecer obras inovadoras, que utilizam este elemento como matéria-prima para estruturas modernas e contemporâneas.

O WWF-Brasil, em conjunto com a Univers Design, promove na capital federal, no período de 11 de novembro às 15 de novembro, a exposição “Madeira na Arquitetura do Século XXI”.

Composta por 11 maquetes de obras e 24 paineis de todo o mundo, a exposição traz ainda textos e fotografias que vão contar como utilizar a madeira para construir diversos tipos de estruturas. Elas foram feitas, em sua maior parte, por alunos de escolas de arquitetura.

As obras retratadas vêm de diversos países: Japão, Chile, Estados Unidos, Áustria, Nova Zelândia, Suíça e Inglaterra. Elas mostram casas em árvores, restaurantes, centros comunitários, escritórios, apartamentos, estúdios de fotografia, vinícolas, pontes, museus e passarelas feitos com madeira.

 

Possibilidades

O arquiteto, proprietário da Univers Design e curador da exposição Marcelo Aflafo contou que um dos grandes objetivos desta iniciativa é mostrar, para a sociedade, as possibilidades de uso da madeira em projetos de engenharia e arquitetura.

“A madeira é um instrumento de técnica e linguagem, que minimiza impactos ambientais, traz uma ideia de futuro interessante e inspiradora para os projetos. Ela tem ainda uma beleza e plasticidade enormes, sendo um material riquíssimo para uso na arquitetura”, explicou.

Marcelo disse que o uso de madeira em estruturas arquitetônicas é uma realidade muito forte no exterior – mas, inexplicavelmente, pouquíssimo praticada no Brasil.

“Os europeus usam madeira na construção há 30 anos, os canadenses entraram nessa há uns 5 anos, os japoneses fazem isso há séculos. E nós, que estamos sentados em cima de um imenso patrimônio de madeira, não temos nada para mostrar para o mundo”, afirmou.

 

Conservação

Para o analista de conservação do WWF-Brasil, Ricardo Russo, estimular os usos da madeira responsável, como na arquitetura, é trabalhar pela conservação dos recursos naturais.

“Os projetos de arquitetura geralmente trabalham com madeira certificada, que promovem a manutenção das florestas, a geração de renda na região amazônica e o fortalecimento da cadeia produtiva da madeira”, afirmou.

Russo lembrou ainda que os processos de exploração e produção da madeira responsável promovem baixa emissão de poluentes e gases de efeito estufa, que ajudam no combate às mudanças climáticas.

“Nosso objetivo, com essa exposição, é mostrar que a madeira, se bem explorada, pode vir a ser um grande fator para promover o uso sustentável dos recursos naturais”, disse.

A exposição é aberta ao público, que pode visitá-la de quinta à domingo, das 9h às 18h.

A sede do WWF-Brasil fica na SHIS EQ QL 6/8 Conjunto E 71620-430, em Brasília (DF).

 

Madeira é Legal

A vinda da exposição “Madeira na Arquitetura do Século XXI” para Brasília é uma ação do Programa Madeira é Legal. Esta iniciativa é um protocolo de cooperação, assinado por 23 organizações, que tem como objetivo incentivar e promover o uso da madeira de origem legal e certificada no Brasil.

Para isso, diversas ações vêm sendo realizadas: a publicação de livros e manuais; a realização de capacitações para associações de classe, como construtoras e incorporadoras; a promoção de workshops internacionais na Colômbia e Equador; a realização de estudos de viabilidade para aperfeiçoar a tributação da madeira no Estado de São Paulo; além da participação em feiras especializadas.

 

A abertura

A exposição terá um evento de abertura, que ocorre no dia 11 de novembro a partir das 20h. Na ocasião, estarão presentes produtores florestais, especificadores de obras e  gestores públicos ligados a obras e Meio Ambiente.

Eles participarão de palestras com dois dos principais profissionais ligados a construção em madeira no Brasil e farão uma visita monitorada pelo curador da exposição.

 

SERVIÇO

O quê? Exposição Arquitetura da Madeira no Século XXI

Quando? 11 de novembro a 15 de dezembro

Onde? No Espaço Agantu, sede do WWF-Brasil, em Brasília – SHIS EQ QL 6/8

Conjunto E 71620-430

 

Informações para a imprensa
Jorge Eduardo Dantas
Communications Officer – Amazon Programme
Tel: (92) 3644-3844
WWF-Brasil  •  wwf.org.br

 

GBC 2015: Lançamento de vídeo e oficina de identificação de madeiras marcam o 1º dia do Programa Madeira é Legal na Greenbuilding Brasil

O lançamento de um vídeo e a realização de uma oficina de identificação de madeira foram os primeiros eventos “oficiais” promovidos pelo Programa Madeira é Legal na Greenbuilding Brasil Expo, a maior feira de construção sustentável da América Latina – que começou nesta terça e ocorre até o dia 13 de agosto em São Paulo (SP).

O primeiro dia da Greenbuilding Brasil contou também com a participação da ex-senadora Marina Silva, que fez a fala inaugural do evento e cortou a corda que deu início à feira.

O vídeo temático é uma animação, que dura cerca de 5 minutos, que mostra como o uso responsável de madeira ajuda na conservação da Amazônia. Já a oficina foi promovida pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e teve o objetivo de mostrar que cuidados devemos  ter quando usamos madeira em estruturas como janelas, portas e móveis.

A animação mostra que a exploração responsável recolhe tributos, promove o respeito às populações tradicionais, permite o manejo de determinada área, evita a emissão de gases de efeito estufa e respeita a biodiversidade de nosso País. Em breve, este vídeo estará disponível nos canais oficiais das instituições signatárias do Programa Madeira é Legal.

Para o pesquisador do setor florestal Jorge Ribeiro, o vídeo tem um grande mérito, que é de “aproximar” o tema “uso da madeira” do público que não tem intimidade com este assunto. “É um vídeo equilibrado, educado, que atrai as pessoas. Acho muito legal esse tipo de iniciativa”, afirmou, após a exibição da animação.

 

Cuidados

Já a oficina de identificação de madeiras foi promovida pela professora do IPT Maria José de Andrade. Durante a capacitação, ela deu dicas de como identificar, da maneira adequada, uma determinada espécie madeireira e que cuidados deve-se ter na hora de escolher materiais para janelas, esquadrias e pisos, por exemplo.

Segundo a professora, a ideia da oficina foi “apresentar a madeira” aos participantes. Para isso, ela trouxe alguns conceitos teóricos e fez exercícios práticos, de visualização das características físicas das madeiras, para que os participantes pudessem conhecer as diferenças mais básicas que existem entre algumas espécies.

“Você precisar conhecer o material que está usando. Não adianta você utilizar uma madeira e não ter informações sobre ela: em algum momento, por conta do clima úmido, do calor, ou da chuva, você terá problemas como gavetas que não encaixam, janelas que não abrem, problemas de empeno ou de colagem. Você precisar saber as propriedades do material que está utilizando”, explicou a especialista.

 

Madeira é Legal

O Programa Madeira é Legal é um protocolo de cooperação, criado em março de 2009 e assinado por 23 instituições, cujo objetivo é incentivar e promover o uso da madeira de origem legal e certificada no Brasil.

Na Greenbuilding Brasil, as organizações signatárias do programa estão presentes com um stand de 40 m² em que apresentam seus produtos, ações e atividades.

No espaço, serão disponibilizados e distribuídos diversos materiais (publicações, folhetos, catálogos, guias, pen drives com conteúdos exclusivos e vídeos), com informações sobre o uso responsável da madeira no Brasil.

As instituições ainda participam e promovem palestras nas sessões educacionais da feira e apresentam os resultados de uma pesquisa realizada junto a escritórios de arquitetura, que buscou saber como essas organizações utilizam madeira em seus projetos.

A participação do programa Madeira é Legal na Greenbuilding Brasil Expo é uma

realização do Conselho Brasileiro de Manejo Florestal (FSC ® Brasil), do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), do Sindicato do Comércio Atacadista de Madeira de São Paulo (Sindimasp), da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea), do IPT e do WWF-Brasil. A ação também conta com  o apoio da Comunidade Europeia.

 

Greenbuilding Brasil

A Greenbuilding Brasil é uma feira de negócios voltada para a construção sustentável promovida pela organização não governamental Green Building Council Brasil (GBC).

Ela reúne empresas nacionais e internacionais fornecedoras de tecnologia, equipamentos e serviços. Seu público é formado por arquitetos, construtores, engenheiros, entidades governamentais, arquitetos de interiores, incorporadores e associações do setor.

A última edição da feira, realizada em 2015, contou com 4,5 mil participantes, 63 expositores e 141 palestrantes. Estiveram presentes representantes de 32 países.

 


WWF-Brasil apresenta o Programa Madeira é Legal durante a 6ª edição da Greenbuilding Brasil 2015, em São Paulo

 Programação prevê palestras, simpósios, rodas de discussão e distribuição de materiais sobre madeira legal e certificada no Brasil
Entre os dias 11 e 13 de agosto, o WWF-Brasil estará apresentando o Programa Madeira é Legal durante a Greenbuilding Brasil 2015, o maior evento de construção sustentável da América Latina, que será realizado no Transamerica Expo Center, na Zona Sul da capital paulista.

O WWF-Brasil é um dos parceiros desta iniciativa e estará presente na feira com um stand que apresentará o Programa Madeira é Legal. Além disso, terá uma parte da programação dedicada a palestras e simpósios nas “sessões educacionais”.

De acordo com o analista sênior do WWF-Brasil, Ricardo Russo, o Madeira é Legal tem por objetivo mostrar à sociedade as vantagens e possibilidades do uso da madeira responsável na construção civil, como em estruturas de casas, edifícios e estabelecimentos comerciais.

“Ao utilizar madeira responsável ou certificada, você contribui para a conservação das florestas brasileiras, com a geração de renda das comunidades e das empresas extrativistas e com o amadurecimento do mercado de construção sustentável no Brasil”, explica Ricardo.

A participação do programa Madeira é Legal na Greenbuilding Brasil Conference é uma

realização do Conselho Brasileiro de Manejo Florestal (FSCâ Brasil), do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), do Sindicato do Comércio Atacadista de Madeira de São Paulo (Sindimasp), da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e do WWF-Brasil. A ação também conta com  o apoio da Comunidade Europeia.

 

Disseminando conhecimento

Em um stand de 40 m² serão apresentados produtos, ações e atividades das 23 organizações signatárias do Programa Madeira é Legal – cujo objetivo é incentivar e promover o uso da madeira certificada e produzida de forma sustentável no Brasil.

O WWF-Brasil apresentará também o aplicativo para smartphones “Catálogo de Madeiras Brasileiras”. Trata-se de um guia das madeiras encontradas no Brasil com suas propriedades e principais aplicações na construção civil. O objetivo é promover o uso sustentável de espécies menos conhecidas, oriundas de florestas certificadas e que apresentam potencial para diversos usos.

“O aplicativo é um guia de madeiras que traz informações úteis para profissionais de engenharia, arquitetura, design e outros que trabalhem com o material”, explica Russo. A ferramenta já está disponível no Google Play e em breve será lançado para IOS.

Os visitantes poderão consultar publicações e fazer downloads gratuitos de livros, apostilas e relatórios do Programa Amazônia do WWF-Brasil, em um totem interativo. Também haverá uma programação com rodas de discussão e minioficinas sobre o tema.

Além disso, serão disponibilizados e distribuídos diversos materiais (publicações, folhetos, catálogos, guias, pen drives com conteúdos exclusivos e vídeos), com informações obre o uso responsável da madeira no Brasil no stand do Programa Madeira é Legal no evento.

 


Aplicativo mostra como usar madeira sustentável na construção civil

  • Ferramenta é voltada para arquitetos, engenheiros, designers e projetistas que trabalham com espécies madeireiras brasileiras;
  • Lista contém diversas informações sobre as espécies, como fotos, nome científico, nomes populares, cor, contração, ficha técnica resumida e que usos ela pode ter;
  • App já está disponível no Google Play e em breve será lançado para IOS.

 

Designers, engenheiros, arquitetos, projetistas e demais profissionais que lidam com madeira tem agora uma nova fonte de informação para exercer seu trabalho – é o aplicativo “Catálogo de Madeiras Brasileiras”, lançado pelo Programa Amazônia do WWF-Brasil.

Este aplicativo, disponível no Google Play e que em breve será lançado no IOS, reúne uma série de informações sobre espécies de madeiras brasileiras que podem ser utilizadas para projetar e fabricar móveis, portas, janelas, esquadrias, entre outros itens.

É possível baixar o aplicativo neste link: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.evirtual.catalogodemadeiras

A lista contem diversas informações sobre as espécies, como fotos, nome científico, nomes populares, cor, contração, ficha técnica resumida, quais madeiras ela substitui e que usos ela pode ter.

 

Disponibilizando informação

As informações disponíveis no aplicativo foram retiradas do livro “Catálogo de Madeiras Brasileiras”, lançado em 2013 pelas instituições participantes do Programa Madeira é Legal – incluindo o WWF-Brasil.

O aplicativo foi desenvolvido pela empresa brasiliense Espaço Virtual que, como o próprio nome indica, desenvolve projetos e ações digitais. O responsável pelo aplicativo, André Bergholz, afirmou que o objetivo da empreitada é disponibilizar informações de forma simples, ágil e prática para quem desenha projetos com madeira.

“Queríamos reunir aquelas informações que já estavam à disposição e colocá-las à público de uma outra forma, que pudesse ajudar na consulta sobre informações e propriedades das espécies madeireiras brasileiras”, disse. O projeto do aplicativo, desde sua concepção até a disponibilização pública, levou cerca de 2 meses.

 

Madeiras alternativas

Um ponto importante desta plataforma é que ela trabalha com o conceito de madeiras alternativas, que consiste em identificar madeiras que são subutilizadas pelo mercado, promovendo essas espécies e dando publicidade a seus usos e potencialidades.

Com isso, é possível trabalhar com custos menores – já que madeiras alternativas, por serem mais abundantes, são mais baratas. Sua utilização contribui com a viabilidade econômica das empresas florestais.

 

Socializando conhecimento

Para o analista de conservação do WWF-Brasil, Ricardo Russo, o aplicativo é uma forma de socializar informações e conhecimentos técnicos sobre as espécies madeireiras brasileiras. “Temos um material muito legal sobre o assunto, que achamos que seria importante disponibilizar de outras formas além do livro”, afirmou.

“Se arquitetos e engenheiros usarem essas informações em seus projetos, estaremos todos contribuindo com a conservação das florestas brasileiras, com a geração de renda das comunidades e das empresas extrativistas”, disse Ricardo.

O aplicativo faz parte de um pacote de “itens digitais” que inclui ainda um Ibook – um livro virtual com recursos de interatividade, disponível no Itunes – e um QR Code que, acionado, leva a um ambiente virtual onde é possível acessar informações sobre as madeiras brasileiras.

O QR Code vem sendo distribuído para parceiros e apoiadores do WWF-Brasil impresso em cartões de visita. “Cuidamos para que os conteúdos utilizassem as características de cada plataforma e assim agregassem valor para cada público”, explicou André.

 

Madeira é Legal

A criação e distribuição do aplicativo é uma atividade do programa Madeira é Legal – um protocolo de cooperação assinado por 23 instituições em 2009 e que tem como objetivo incentivar e promover o uso da madeira de origem responsável.

Madeira responsável é a madeira que é extraída e produzida considerando os impactos ambientais e sociais desses processos. A condição mínima para isso é ter um Plano de Manejo sustentável, que garanta a origem do material.

Entre as diversas ações implementadas pelo programa estão a publicação de livros e manuais; a realização de capacitações para associações de classe, como construtoras e incorporadoras; a promoção de um workshop internacional com produtores da Colômbia; a participação em feiras especializadas; e a realização de um estudo para aperfeiçoar a tributação desta matéria-prima no Estado de São Paulo.

São signatários do programa Madeira é Legal diversas instituições. Entre elas, os governos Estadual e Municipal de São Paulo, o SindusCon–SP, a Associação Paulista de Empresários de Obras Públicas (APEOP), a Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA),o Conselho Brasileiro de Manejo Florestal (FSCâ Brasil), o Sindicato do Comércio Atacadista de Madeira de São Paulo (Sindimasp), o IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas  e o WWF-Brasil.

 

 

 


Programa Madeira é Legal lança vídeo e apresenta resultados de pesquisa sobre o uso de madeira responsável

  • Lançamentos ocorrem durante a Greenbuilding Brasil Expo, a maior feira de construção sustentável da América Latina;
  • Animação mostra as vantagens ambientais, econômicas e sociais do trabalho com madeira de boa origem;
  • Pesquisa buscou entender, junto a escritórios de arquitetura, problemas e oportunidades da madeira na construção civil.

As instituições signatárias do Programa Madeira é Legal lançam, durante a 6ª edição da Greenbuilding Brasil Expo, duas iniciativas voltadas à promoção da exploração e comercialização responsável de madeira no Brasil.

Uma delas é a série de vídeos “Tudo o que você sempre quis saber sobre Madeira mais tinha medo de perguntar” e a outra é o resultado de uma pesquisa, voltada aos escritórios de arquitetura do País, que buscou saber quais são os problemas, as oportunidades e possibilidades do uso de madeira responsável na construção civil.

A série de vídeos tem como objetivo mostrar de forma fácil, rápida e objetiva quais são os benefícios no uso da madeira responsável. Ela consiste em três vídeos curtos que vão contar porque precisamos apoiar a exploração responsável de madeira em nosso País e como é possível fazer isso.

 

Produtos Digitais

O primeiro vídeo será lançado no dia 11, próxima terça-feira, e em seguida será disponibilizado nos canais institucionais das organizações signatárias do Madeira é Legal.

Os vídeos estão sendo produzidos pela empresa Espaço Virtual, de Brasília (DF), especializada em produtos digitais. Desde o primeiro semestre de 2015, eles vêm lançando outros produtos voltados à disseminação de informações sobre madeira responsável, como um totem interativo, um aplicativo para Android e cartões de QR Code.

 

Arquitetura Sustentável

Já a pesquisa, cujos resultados serão apresentados na próxima quarta-feira, na tarde do dia 12, foi feito em parceria com a Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA) e teve como objetivo verificar de que maneira os grandes escritórios de arquitetura do País utilizam madeira em seus projetos.

A pesquisa foi feita em duas semanas e foi respondido por 30 escritórios de grande porte, a maioria do Estado de São Paulo.

A coordenadora do Grupo de Trabalho de Sustentabilidade da AsBEA, Milene Abla, contou que a pesquisa é uma iniciativa importante e que dá subsídios para que a associação desenvolva projetos específicos, mais voltados à promoção da madeira responsável.

“A ideia deste trabalho foi ter resultados, para que pudéssemos olhá-los e tentar entender como podemos ter uma atuação mais específica sobre esse tema”, disse.

O analista de conservação do WWF-Brasil, Ricardo Russo, contou que os resultados preliminares da pesquisa apontam que o trabalho que o Madeira é Legal vem fazendo junto aos escritórios de arquitetura estão “no caminho certo”. “Vimos que existe uma grande demanda por intercâmbios e capacitações, algo em que temos investido bastante”, afirmou.

 

Greenbuilding Brasil

A participação do programa Madeira é Legal na Greenbuilding Brasil Conference é uma

realização do Conselho Brasileiro de Manejo Florestal (FSCâ Brasil), do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), do Sindicato do Comércio Atacadista de Madeira de São Paulo (Sindimasp), da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e do WWF-Brasil. A ação também conta com  o apoio da Comunidade Europeia.

A Greenbuilding Brasil é uma feira de negócios voltada para a construção sustentável promovida pela organização não governamental Green Building Council Brasil (GBC).

Ela reúne empresas nacionais e internacionais fornecedoras de tecnologia, equipamentos e serviços. Seu público é formado por arquitetos, construtores, engenheiros, entidades governamentais, arquitetos de interiores, incorporadores e associações do setor.

A última edição da feira, realizada em 2015, contou com 4,5 mil participantes, 63 expositores e 141 palestrantes. Estiveram presentes representantes de 32 países. As inscrições para o evento podem ser feitas gratuitamente em uma plataforma on-line.

 


 

Especialistas debatem produção responsável de madeira na Greenbuilding Brasil Conference

Promover reflexões sobre o mercado da construção sustentável no Brasil é um dos objetivos da Greenbuilding Brasil Conference (GBC), a maior conferência sobre o tema na América Latina que ocorre no próximo mês em São Paulo (SP).

As instituições signatárias do Programa Madeira é Legal, vão promover duas palestras no dia 12 de agosto sobre o mercado de madeira responsável em nosso País, as oportunidades e desafios deste setor.

Às 9h30, tem início a palestra “Madeira na Construção: desafios e experiência em 200 canteiros de obra”. De responsabilidade do Conselho Brasileiro de Manejo Florestal (FSC ® Brasil), estão confirmados como palestrantes o coordenador do Programa Amazônia do WWF-Brasil, Marco Lentini; o consultor do Centro de Tecnologia em Edificações (CTE), Renato Salgado; e a diretora-executiva do FSC ® Brasil, Fabíola Zerbini.

 

Exploração responsável

Já a palestra “Perspectivas para a legalidade da produção de madeira da Amazônia”, proposta pelo WWF-Brasil, terá início às 14h30 do mesmo dia e tem como objetivo discutir de que maneira é possível fomentar a exploração responsável de madeira em nosso País.

Os participantes serão o analista sênior do WWF-Brasil, Ricardo Russo; o diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro (SFB) Raimundo Deusdará Filho; e o diretor da empresa IndusParquet, Jose Antonio Baggio. O moderador será o representante do Sindicato do Comércio Atacadista de Madeiras do Estado de São Paulo (Sindimasp), Rafik Saab Filho.

Segundo Ricardo, o intuito desta conversa é discutir o problema da ilegalidade da madeira e possíveis soluções sob três prismas diferentes – governo, empresariado e terceiro setor.

“Queremos oferecer ao público perspectivas e visões diferentes além de, é claro, discutir também possíveis soluções e como podemos fazer um pacto para reduzir a ilegalidade da produção madeireira da Amazônia”, explicou o analista.

 

Madeira é Legal

O Programa Madeira é Legal é um protocolo de cooperação, criado em março de 2009 e assinado por 23 instituições, cujo objetivo é incentivar e promover o uso da madeira de origem legal e certificada no Brasil.

Na Greenbuilding Brasil, as organizações signatárias do programa estarão presentes com um stand de 40 m² em que vão apresentar seus produtos, ações e atividades. No espaço, serão disponibilizados e distribuídos diversos materiais (publicações, folhetos, catálogos, guias, pen drives com conteúdos exclusivos e vídeos), com informações obre o uso responsável da madeira no Brasil.

A participação do programa Madeira é Legal na GreenBuilding Brasil é uma realização do FSC Brasil, do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), do Sindimasp, da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea), do IPT Instituto de Pesquisas Tecnológicas e do WWF-Brasil. A ação também conta com  o apoio da Comunidade Europeia.

 

Conheça a feira

A Greenbuilding Brasil é uma feira de negócios voltada para a construção sustentável promovida pela organização não governamental Green Building Council Brasil (GBC). Ela ocorre entre os dias 11 e 13 de agosto no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

Ela reúne empresas nacionais e internacionais fornecedoras de tecnologia, equipamentos e serviços. Seu público é formado por arquitetos, construtores, engenheiros, entidades governamentais, arquitetos de interiores, incorporadores e associações do setor.

A última edição da feira, realizada em 2015, contou com 4,5 mil participantes, 63 expositores e 141 palestrantes. Estiveram presentes representantes de 32 países. É possível se inscrever gratuitamente na feira, mas o acesso às palestras e seminários será feito mediante o pagamento de uma taxa específica.

A visita à Feira é restrita a profissionais da área. As inscrições já podem ser feitas gratuitamente por meio de uma plataforma on-line, clique aqui.

 

 


Programa Madeira é Legal participa de feira sobre construção sustentável em São Paulo (SP)

  • Sexta edição da Greenbuilding Brasil Conference e ocorre em agosto e vai reunir arquitetos, construtores, engenheiros, instituições e associações;
  • Programação prevê palestras, simpósios, rodas de discussão e distribuição de materiais sobre madeira legal e certificada no Brasil.

Quais são as possibilidades e oportunidades para o setor da construção sustentável no Brasil?

É esta pergunta que a GreenBuilding Brasil, uma grande feira temática sobre construção sustentável, vai procurar responder a partir do próximo mês. Ela ocorre em São Paulo (SP) entre os dias 11 e 13 de agosto, no Transamerica Expo Center, na Zona Sul da capital.

O WWF-Brasil é um dos parceiros desta iniciativa e estará presente na feira, por meio de um stand que vai apresentar o programa Madeira é Legal; e nas “sessões educacionais” – uma parte da programação dedicada a palestras e simpósios.

O stand a ser montado possui 40 metros quadrados e vai trazer produtos, ações e atividades das 23 organizações signatárias do programa Madeira é Legal – cujo objetivo é incentivar e promover o uso da madeira de origem legal e certificada em nosso País.

 

Materiais promocionais

Naquele espaço, serão disponibilizados e distribuídos diversos materiais promocionais relacionados ao uso responsável da madeira no Brasil – como publicações, folhetos, catálogos, guias, pen drives com conteúdos exclusivos e vídeos.

Publicações do Programa Amazônia do WWF-Brasil também estarão disponíveis no evento por meio de um totem interativo, que permite a consulta e o download gratuito dos livros, apostilas e relatórios. Também está sendo montada uma programação com rodas de discussão e minioficinas, a ser divulgada em breve.

 

Vantagens e possibilidades

De acordo com o Analista Sênior do WWF-Brasil, Ricardo Russo, o programa Madeira é Legal busca mostrar à sociedade as vantagens e possibilidades do uso de madeira responsável na construção de estruturas como casas, prédios e estabelecimentos comerciais.

“Ao utilizar madeira responsável ou certificada, você contribui com a conservação das florestas brasileiras, com a geração de renda das comunidades e das empresas extrativistas e com o amadurecimento do mercado de construção sustentável no Brasil”, explicou Ricardo.

A participação do programa Madeira é Legal na GreenBuilding Brasil Conference é uma realização do Conselho Brasileiro de Manejo Florestal (FSCâ Brasil), do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), do Sindicato do Comércio Atacadista de Madeira de São Paulo (Sindimasp), do IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas  e do WWF-Brasil. A ação possui apoio da Comunidade Europeia.

 

Conheça a feira

A Greenbuilding Brasil é uma feira de negócios voltada para a construção sustentável promovida pela organização não governamental Green Building Council Brasil (GBC).

Ela reúne empresas nacionais e internacionais fornecedoras de tecnologia, equipamentos e serviços. Seu público é formado por arquitetos, construtores, engenheiros, entidades governamentais, arquitetos de interiores, incorporadores e associações do setor.

A última edição da feira, realizada em 2015, contou com 4,5 mil participantes, 63 expositores e 141 palestrantes. Estiveram presentes representantes de 32 países.

A visita à Feira é restrita a profissionais da área. As inscrições já podem ser feitas gratuitamente por meio de uma plataforma on-line http://www.expogbcbrasil.org.br/2015/inscricoes-2/

 

SERVIÇO
GreenBuilding Brasil Conferência Internacional e Expo 2015

Data: 11 a 13 de agosto de 2015
Local: Transamerica Expo Center – São Paulo
Horário: Exposição das 10h às 20h
Congresso das 09h às 18h

Site: http://www.expogbcbrasil.org.br/2015/

 

Informações para a imprensa:

Jorge Eduardo Dantas

Communications Officer – Amazon Programme

Tel: (92) 3644-3844

WWF-Brasil  •  wwf.org.br